Cuiabá, 25 de Junho de 2024

AGRONEGÓCIO Quarta-feira, 29 de Maio de 2024, 09:03 - A | A

Quarta-feira, 29 de Maio de 2024, 09h:03 - A | A

GOVERNO

BB abre linhas de crédito de R$ 2 bi para agricultores do RS

Os créditos começam a ser liberados nesta terça-feira (28), após a assinatura das primeiras propostas na superintendência do banco em Porto Alegre.

CANAL RURAL

Banco do Brasil (BB) abriu cerca de R$ 2 bilhões em linhas emergenciais de crédito para agricultores do Rio Grande do Sul. Os créditos começam a ser liberados nesta terça-feira (28), após a assinatura das primeiras propostas na superintendência do banco em Porto Alegre.

As linhas têm subvenção econômica e recursos de equalização para reduzir os custos financeiros para os tomadores. São R$ 1,9 bilhão através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); do Pronaf Investimento (Mais Alimentos); do Crédito de Investimento em Sistemas de Exploração Extrativistas, de Produtos da Sociobiodiversidade, Energia Renovável e Sustentabilidade Ambiental (Pronaf Bioeconomia); e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp Investimento). 

“O Banco do Brasil cumpre, mais uma vez, seu propósito e está ao lado dos produtores em todos os momentos, inclusive neste momento de dor e perdas na região”, diz em nota a presidente do banco, Tarciana Medeiros. “São ações que buscam a recuperação da renda e das condições de agricultores familiares e de empresas vitimadas pela calamidade, com repercussão positiva na economia das regiões afetadas.”

 

Podem contratar as linhas agricultores familiares que se enquadram no Pronaf, médios produtores enquadrados no Pronamp e que tiveram perdas ou danos a partir de 30% do valor da estrutura produtiva.

O banco aplicará o desconto no valor financiado das operações de crédito rural contratadas entre hoje e 31 de dezembro, para as áreas afetadas pelas chuvas e enchentes.

“O BB, reforçando seu papel de maior parceiro do agro e das empresas, agilizou o desenvolvimento das linhas de crédito e mobilizou a rede de agências”, afirma o vice-presidente de Agronegócios e Agricultura Familiar do banco, Luiz Gustavo Braz Lage.

Comente esta notícia